14 de jul de 2011

Olá Gleice,
Tenho desde o início do Projeto Uca tentado fazer algo que desse retorno para mim como professor e também que justificasse esse projeto. Nesse momento estou fazendo a colheta dos frutos que tenho tratado todo esse tempo. Como professor de Língua Portuguesa devo incentivar a leitura e escrita. Por isso, orgulhosamente apresento um dos texto que acho que é destaque e acredito que esse aluno tem futuro em escrever. Leia, comente e divulgue,
Um abraço
Clevilson Paulo

Minha escola, os dias silenciosos
Quem ver aquela escola nos cinco dias semanais, não acredita no que vê nos finais de semana.
Passando por ali vejo aquelas árvores se balançando com vagareza, o ar que corre sobre o ambiente é totalmente diferente . As salas que um dia suportaram tanta expressão, já não escutam mais o falar dos alunos. É obrigada a viver sobre trancas tão inabertas pela a força do ar de dentro.
Às vezes passo em frente a esse coleginho e sozinho imagino: como será esse colégio sem a minha presença? Como ali um dia foi o despertar de um sorriso de um adolescente, e como pessoas tão formadas passaram anos sobre esse teto, vivendo e convivendo com um ambiente que se abriga em dois dias tão silenciosos?
Quando chega a segunda-feira e entro na escola, fico a refletir, não posso me desvalorizar na escola em que pretendo terminar o meu ensino médio. A expresão é um ato de se comportar, não depende somente do ambiente escolar, mas sim de seus habitantes sorridentes que a ostentam em dias tão ensolarados.
Ao caminhar sobre aquele ambiente nos finais de semana, meu coração sofre ao ver os pingos da chuva cairem sobre seu teto. A cada pingo d´água, o despreso em pensar, mais um dia de silêncio constante, desta vez não é nos finais de semana, o motivo, a dificuldade por algunns de chegar ao local desejado.
Afinal viver em silêncio não tem nada ver com a realidade, melhor um colégio alegre, expresso no sorriso de centenas de adolescente, que nunca desejam ver uma escola sempre silenciosa, abandonada pela felicidade e o auto astral.


Gilson Castro da Costa 1°"A"

2 comentários:

  1. Minha nossa! Ainda estou impactada com a dor expressa pelo menino ao ver a escola vazia pela chuva que traz consequencias que impedem a ida à escola de muita gente. Parabéns, professor Clevilson por conseguir que os meninos construam coisas belas.

    ResponderExcluir
  2. Olá Clevilson,
    Fiquei arrepiada também. Muito bacana! Acho que esse menino gosta mesmo de escrever. Eu sugeriria que você pedisse a ele para reler seus escritos e fazer pequenas correções - em especial aqui, de ortografia. Acho que a releitura e a reescrita são essenciais na produção escrita e, em geral, provocam outros ajustes no próprio texto que o tornam ainda melhor.

    ResponderExcluir